sam_0741Produção de texto coletivo dos alunos do 1º ano D (Ensino Fundamental) – Entrevista com Sonia Sayama

“No dia 05/09/2013, quinta-feira, às 15 horas, na sala de aula do 1º ano D, realizamos uma entrevista com a secretária Sonia Sayama, do Centro Educacional Pioneiro. Perguntamos a ela se poderia nos contar algumas histórias sobre Dona Michie Akama.

Ela disse que Dona Michie era brava quando precisava, mas era também muito amorosa. Ensinou-lhe muitas coisas, por exemplo, sobre comportamento e regras de etiqueta.

Sonia contou que Dona Michie incentivava muito a leitura e falava bastante em japonês. Acabou lhe ensinando um pouco da língua japonesa. Dona Michie gostava de levá-la para passear nos finais de semana para conhecer a cidade de São Paulo. Aos domingos, a convidava para almoçar na casa dela e sempre oferecia frango, pois achava que todos gostavam! A casa dela, atualmente, é a casa do Opcional.

Dona Michie gostava de dar presentes para os alunos na Páscoa e a secretária Sonia também dava chocolates a ela. Ela gostava de brincar com as crianças na hora do recreio. As cadeiras marrons, que hoje ficam no refeitório, pertenciam ao escritório de Dona Michie, que ficava onde hoje é a sala da assistente de direção Marisa. Dona Michie almoçava todos os dias na escola, junto com os funcionários.

Sonia lembrou-se também de um momento muito especial, quando passava os Natais com Dona Michie e seus familiares! Sonia começou a trabalhar no Pioneiro com 14 anos de idade. Em seu trabalho, ela é a responsável pela secretaria da escola, atendendo alunos, pais, fazendo os bilhetes para as famílias, documentações etc.

O Pioneiro tem hoje 42 anos de fundação. Teve a sua primeira turma em 1971. Na época que Sonia começou a trabalhar, existia apenas o prédio mais antigo, onde fica nossa sala de aula, pois o prédio “azul” foi construído bem depois.

Antigamente, o chão da escola era feito de barro. Sonia disse que os alunos brincavam na terra e sujavam todo o uniforme! O parquinho de areia sempre existiu, mas era um pouco maior e com brinquedos diferentes. O uniforme era branco e azul, mas com outro logotipo, que tinha três letras “P”.

Ela disse que deve ter sido muito difícil construir o Pioneiro, pois precisava de dinheiro para manter e reformar a escola. Dona Michie lutou muito para construir nossa escola.

O que Sonia mais gostava na Dona Michie era sua sinceridade, vitalidade, vigor… Era uma pessoa muito ativa, apesar de sua idade, e que lhe ensinava muitas coisas. Dona Michie tinha um amor muito grande por essa escola!”