baralho_matemática (16)Um simples baralho de cartas pode virar um interessante instrumento de aprendizado por meio do lúdico. E foi com esse incentivo que os alunos do 3º ano E aprenderam fazer cálculos mentais em operações simples de matemática, de modo descontraído e divertido.

A atividade que desenvolvemos foi um jogo no qual os alunos viravam  as cartas ao mesmo tempo e efetuavam a adição dos números. Aquele que respondia primeiro o total da soma, ficava com as cartas. O vencedor era aquele que conseguia o maior números de cartas. Usamos todos os números e símbolos do baralho (A, J, Q, K), deixando de lado apenas o coringa.

Começamos trabalhando em duplas. O jogo foi esquentando e aumentando a agilidade na realização das contas. Trocamos então as duplas, procurando estimular a interação entre os jogadores.

Aumentamos o nível do desafio juntando de 3 a 4 jogadores, de forma que os alunos deveriam criar estratégias para efetuarem as contas rapidamente quando saíssem 4 números juntos. Um exemplo é uma combinação das cartas J, 9, 5, K. Alguns alunos arredondaram os números para 10 (no caso de J e K) e depois somaram as unidades restantes. De certa forma, aprenderam a estimar o valor próximo ao valor real.

Para que todos pudessem efetuar as contas, o combinado foi que eles deveriam fazer as contas até o fim, mesmo que um jogador já tivesse dito a resposta.

Foram ficando craques nas contas e partimos para a próxima proposta: a subtração. Foi um desafio e tanto!

Os alunos adoraram jogar com as cartas efetuando as contas de adição e subtração…

Em casa ou com os amigos, esse jogo pode ser um passatempo agradável. Tente, experimente… Divirta-se de um modo diferente!

Professora Melissa Miyuki Habe Shiono – 3º ano E