Mantido por uma fundação, o Pioneiro tem outro diferencial de destaque, além da qualidade da educação oferecida: o modelo de gestão, voluntário e altamente comprometido com os bons resultados

No Pioneiro, o padrão de qualidade adotado para o ensino se estende também à gestão da instituição, que é mantida por uma fundação e dirigida por um corpo de voluntários. Esses colaboradores, que atuam como conselheiros e diretores, oferecem suas competências, sua experiência profissional e sua vivência pessoal – além de muitas horas de seu tempo – para ajudar a pensar a escola e a manter as atividades operacionais, zelando pelos objetivos definidos pela educadora Michie Akama.

IMG_3190

O Conselho Curador é a instância máxima deliberativa, que acompanha e aprova os rumos da instituição. É composto, em grande parte, por ex-alunos e pais de alunos. São cerca de 50 conselheiros, com mandatos de dois anos, com renovação alternada de 50%. Paulo Toledo, presidente do Conselho há oito anos, explica que o órgão tem duas funções: “A primeira é a responsabilidade por manter o Pioneiro fiel aos princípios de ética, solidariedade, participação da família, entre tantos que nos foram passados por dona Michie”.

IMG_3187 (1)

Toledo, magistrado e professor universitário, é um exemplo dos bons frutos gerados pelo trabalho da Fundação. Ele não pertence à colônia japonesa, mas fez todo o seu estudo básico no Pioneiro como bolsista, assim como seus dois irmãos. Os dois filhos de Toledo também foram alunos da escola. “No Pioneiro, aprendi a cooperar com o interesse público, a trabalhar em conjunto, a construir junto com outras pessoas. Tenho uma enorme gratidão por tudo o que fizeram por mim e por meus irmãos. Tivemos a oportunidade de ter acesso a uma educação de alto nível. Por isso é imensa minha satisfação em retribuir um pouquinho, participando do Conselho e ajudando a preservar esses valores”, diz Toledo.

Diretoria executiva

A segunda função do Conselho é que, desse grupo, saem os integrantes da Diretoria Executiva. O papel da Executiva é o de conduzir os processos que mantêm a instituição funcional, sustentável, competitiva e preparada para oferecer a seus alunos todas as condições de uma formação para as competências do século 21. O atual presidente da diretoria, Fernando Shiguemichi, conta que esse é um grande desafio. Os três filhos de Shiguemichi estudaram no PIO. Hoje, todos estão formados e estabilizados em suas carreiras. “A qualidade do ensino do Pioneiro contribuiu fortemente para o sucesso deles”, diz o diretor, empresário e consultor, que já atuou como diretor Financeiro por dois mandatos e está na terceira gestão como presidente da Diretoria.

Ele explica que, nos últimos anos, a escola passou por uma forte profissionalização. A tarefa das novas equipes de gestão foi a de melhorar a organização das atividades operacionais, implantando mecanismos de controles para apoio à tomada de decisões estratégicas. “A diretoria trabalha com autonomia, o que gera responsabilidade e eficiência. Assim, desde 2012 estamos promovendo investimentos em reformas, atualização de mobiliário e equipamentos”, ressalta Shiguemichi.

De acordo com o diretor, há uma constante preocupação com a sustentabilidade financeira da instituição, porém, sem jamais perder de vista a qualidade de ensino, o que implica investimentos em tecnologia, em seus recursos humanos, na formação dos professores. “É dessa forma que vamos manter o Pioneiro dotado das condições necessárias para enfrentar os novos desafios da Educação”, observa Shiguemichi.