Uma das datas mais esperadas do ano pelas turmas de 4º ano, o “chá com os avós” é um momento para compartilhar experiências e histórias! As professoras Thaís, Marcília, Ana Paula, Sonia e Rosália contam como foi esse encontro:

“Quem não adora comida de vó? Ou escutar as histórias que elas contam?

Difícil não associar as memórias da infância com a presença dos avós, afinal, quase sempre eles marcam a vida dos netos.  Eles ajudam a reviver as memórias da família e transmiti-las por gerações. A troca de experiências é um ponto positivo na vivência com os netos e é isso que os alunos dos 4º anos fizeram no dia 27/09!

Encerrando o projeto com o livro “Bisa Bia, bisa Bel” de Ana Maria Machado, nesse encontro, os alunos tiveram a certeza de que além dos avós serem os ‘historiadores’, pois conhecem as histórias dos pais e tios, eles também são o exemplo de outra geração, com costumes diferentes.

cha com avos 2017

É através deles que as crianças criam raízes familiares que fortalecem os elos e enraízam conceitos que serão primordiais na vida adulta. Os avós costumam desenvolver uma cumplicidade muito grande com os netos, sem carregar a função primordial de educar, acabam incentivando os bons costumes através de exemplos que a maturidade lhes confere.

Ter os avós por perto é uma troca enriquecedora para qualquer criança. Como disseram as avós: “Ser mãe é maravilhoso, mas ser avó é melhor ainda!”

Minha vó Tieko sempre faz jantar pra mim, ela também brinca comigo de esconde-esconde, vai passear comigo e me leva na casa da minha bisavó. (Letícia Yumi)

Minha vó Hortência adora tricotar, faz crochê, faz pizza comigo, pinta quadros comigo, eu até já sei fazer crochê, só não sei fazer pizza!  (Júlia Yumi)

Mesmo ela estando com perna machucada, nós fazemos muitas coisas legais juntas, passeamos pelo parque e minha vó Teruko dorme comigo quando eu estou com medo!  (Sayuri Sugahara)

Meus avós Iara e João me levam ao mercado, ao cinema e me contam como era a infância e a casa dos avós deles! (Gustavo Camel)

Vou com a minha vó Selma na chácara e brinco de passar debaixo da perna dela e eu fico fazendo cócegas nela, e ela fica dando risada falando para parar! (Maria Clara Gonzaga)

Confira os cliques desse momento.