bullying2Bullying é uma forma de abuso de poder de crianças ou jovens contra crianças ou jovens. A expressão é de origem inglesa e foi adotada em muitos países para definir o desejo consciente e deliberado de maltratar outra pessoa e colocá-la sob tensão.

Assim sendo, o bullying é um conjunto de atitudes violentas, intencionais e repetitivas, que ocorrem sem motivação aparente, causando dor, angústia e sofrimento físico ou psicológico.

Uma lei federal (13.185) está em vigor desde fevereiro de 2016, instituindo o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (bullying) em todo o território nacional. Essas diretrizes envolvem toda a sociedade e a escola é colocada como um agente fundamental nesse trabalho, com diversas responsabilidades e deveres.

Como parte de nosso do projeto de formação continuada, no dia 7 de junho promovemos um encontro de toda a equipe docente e coordenadores com David Sergio Hornblas, psicólogo escolar, professor universitário e supervisor de processos educativos. Ele é um estudioso sobre o tema e já atuou como orientador educacional na nossa instituição, período em que realizou um projeto de sensibilização sobre o bullying que vem sendo seguido até hoje.

bullying

Na palestra ele destacou a nova legislação e também abordou uma série de pontos relevantes à atuação da escola, tanto na sala de aula como na parceria com as famílias. Falou dos mitos e verdades sobre o tema e esclareceu dúvidas como a identificação de quando um ato é considerado bullying ou não.

bullying3“O bullying afeta a vida dos jovens e das crianças e pode trazer consequências devastadoras. Em geral eles não conseguem resolver o problema sozinhos, precisam da ajuda da família, dos educadores e de amigos”, avalia a diretora geral Irma Akamine Hiray. “No entanto, mais importante que combater o bullying é evitar que ele ocorra. Por isso é fundamental estarmos preparados para identificá-lo e saber como agir”, complementa.

Conheça a lei aqui.