Gustavo Kenji Obara – 6B – 2016

Em uma pequena cidade Sérgio Fortuna foi assassinado. Ele era muito, muito rico, e isso causava inveja nas outras pessoas. Ele era muito ganancioso. Tinha uma filha, e tentava reduzir sua comida para não gastar dinheiro, e fazia várias outras coisas para isso.

Os habitantes da cidade estavam nervosos, porque Sérgio Fortuna nunca pagava suas dívidas, para continuar com sua fortuna. Então, em uma bela noite, Fortuna foi assassinado. Os cidadãos ficaram assustados, eles não gostavam dele, mas uma morte era grave. Então eles foram investigar.

As pessoas sabiam algumas coisas, como quem não era suspeito, os lugares onde não ocorreu a morte, e a arma que não foi utilizada. Porém, as pessoas que sabiam essas coisas só tinham essa informação para si mesmas, porque se alguém fosse o assassino, poderia falar tudo ao contrário do que realmente aconteceu. Mas concordaram que, se alguém deduzir o local que aconteceu, a arma e a pessoa, e acertar alguma coisa, quem tinha deveria das a informação.

Depois de dois meses, a dançarina Senhorita Rosa juntou suas informações e descobriu uma coisa. Ela descobriu o lugar e a pessoa porque, nesses dois meses, achou digitais com sangue no banco. Não sabia se eram da pessoa, mas tinha quase certeza. Ela foi rever o lugar e encontrou uma faca com sangue. Ela estava bem escondida. Foi verificar as digitais e eram as mesmas que tinha encontrado.

Tinha sido o Tony Gourmet, cozinheiro de Carlos Fortuna. Ele não aguentava mais ficar sem seu salário, então quando Fortuna foi sacar seu dinheiro Tony pegou uma faca e o matou, pegou seu dinheiro e saiu correndo. Ele mesmo se entregou depois que a Senhorita Rosa o acusou porque estava arrependido do que havia feito.

Assim, com ele preso a paz reinou de novo na cidade.

___
Descrição da atividade

Os alunos dos sextos e sétimos anos da Oficina Literária encontram histórias em todo lugar! E com jogos de mistério não foi diferente. Impulsionados inicialmente pelo contato com a produção literária e cinematográfica Jumanji, eles iniciaram uma jornada rumo ao universo do fantástico e do misterioso. Em seguimento a essa fase, eles puderam desfrutar de jogos de tabuleiro, entre eles Detetive, Clue e Scotland Yard. Depois de jogar, a proposta da aula foi elaborar um texto com o mistério vivenciado na brincadeira. Vale a pena ressaltar que escrever uma narrativa de mistério não é das tarefas mais simples, pois os textos devem ser bem “amarrados”, com início, meio e fim, e ainda com suspense!