Beatriz Sader Biancalana – 8ºB – 2014

Logo no primeiro dia de aula, Daniel conseguiu chegar atrasado. Apesar de extrovertido, ele não sabia como os novos colegas reagiriam se ele já chegasse fazendo graça.

Com as mãos trêmulas e suadas, ele bateu à porta de sua classe três vezes. Quem abriu foi uma professora cujos cabelos eram incrivelmente negros, como os seus, e olhos tão cinzentos quanto uma tempestade. Daniel pediu licença, entrou na sala e cumprimentou os novos colegas com um caloroso “Bom dia!”. Ele ainda estava de pé na frente da classe à procura de uma carteira vazia, quando alguém lhe indicou a única mesa vaga. Só tinha um problema: era a última carteira da fileira. Isso não seria um problema, a menos que um grandalhão estivesse sentado à sua frente. Quase derrubando os óculos, Daniel gingou desajeitadamente com seus 7 quilos acima do peso até seu lugar, como se estivesse andando em câmera lenta.

No momento em que se sentou, a professora se apresentou como Silena e disse que lecionaria História para a turma deles. Ela deu as boas vindas a todos, mas em especial a Daniel, o aluno novo.

A professora, após seu discurso de início de ano, pediu para que todos se apresentassem. A memória de Daniel não era uma das melhores, e como consequência disso, das quatorze pessoas que estavam na classe, ele só conseguiu decorar o nome de três: Charles, Annabeth e Leo.

Quando finalmente foram liberados para o intervalo, Daniel estava acabado. Os outros alunos não pareciam tão cansados, pelo contrário, aparentavam estar até acostumados. “Como isso é possível?” pensou “Como puderam sobreviver às aulas mais exaustivas logo no primeiro dia?” indignou-se ele, referindo-se às aulas de Filosofia (dada pelo professor Nico, que falava como um zumbi) e de Biologia (com o professor Frank, que explicava olhando para cada aluno fixamente, como se temesse que algum explodisse a classe).

Enquanto pensava, descia os quatro lances de escada até o pátio central para talvez encontrar Leo, Charles e Annabeth e tentar fazer amizade. Mas não teve sorte. De sua classe, reconheceu apenas Luke, Rachel e Thalia, que o receberam muito bem.
O próximo trio de aulas foi mais tranquilo do que o anterior (Latim, Artes e Educação Física). Talvez porque já estivesse enturmado. Ele mal podia esperar para escrever para seus pais sobre seu primeiro dia na Escola da Vida Selvagem.

- – -

Descrição da atividade:
Depois que os alunos inventaram uma personagem chamada Daniel, e lhe deram vida por meio de características que eles mesmos escolheram, eles deveriam contar como foi o seu primeiro dia de aula.