Gabriela Tseng Chou – 8B – 2014

No meio daquelas altas paredes com vitrais e enormes prateleiras preenchidas com milhares de livros mofados e parados, estava um menininho, pequeno, hiperativo, Firmino. Um menino ruivo, sardento, gordinho e agitado.

Escondido entre pilhas e mais pilhas de livros, cadernos e fichas, Firmino estava cantarolando e batucando com seus materiais. Sabia que seus deveres não se fariam sozinhos, mas mesmo assim não queria fazê-los. Achava mais interessante conversar com seus amigos imaginários e ficar girando a cadeira até ficar tonto.

Começava a ler os enunciados, mas nunca os compreendia, e preferia observar e interpretar os vitrais com desenhos religiosos a focar-se nas tarefas. Observava o relógio para ver se o tempo passava mais rápido, mas notava que parecia passar cada vez mais devagar. Ao olhar pelas janelas altas, não via nada, pois nem para isso estava focado, tinha a cabeça em outra dimensão.

—–

Descrição da atividade

Desenvolva a seguinte cena:

Firmino, um menino de 12 anos, está no escritório de sua casa. Entediado e distraído, não quer fazer sua tarefa de casa.