Mika de Luca – 8ºA – 2015

Sua beleza era extraordinária. Na imensidão azul de seus olhos, havia um brilho de carisma. Tinha uma boca rubra e fina e seu rosto continha traços marcantes. Os cabelos eram cacheados e negros. Tudo isso me impulsionava para ir até ele, mas o que me mantinha no lugar era sua atitude. Ele era vil, rude e austero. Não tinha escrúpulos. Impedia as pessoas de amá-lo, e as afastava com ironias. O brilho de seus olhos era falso, sua postura independente era fruto de sua tristeza. Ninguém, além de mim, sabia o porquê de sua postura, mas ele não me deixava tocar no assunto. Ele era a pessoa que eu amava, Juvenal.

—–

Descrição da atividade

Na aula de Oficina Literária, um curso extra oferecido aos sábados, trabalhamos alguns adjetivos novos, visando ampliar o vocabulário dos alunos. Após fazermos um jogo da memória em sala (para facilitar a memorização dos novos vocábulos), os alunos criaram um personagem chamado Juvenal, atribuindo-lhe características físicas e psicológicas, utilizando-se de alguns dos adjetivos aprendidos.